X FOPPIR é encerrado com convite à união dos povos em favor da igualdade PDF Imprimir E-mail

O último dia do Fórum pela Promoção da Igualdade Racial-FOPPIR reafirmou a necessidade de respeito e diálogo entre as diferentes culturas que compõem o povo brasileiro. O domingo (08/11) se iniciou com uma mística retratando o resgate da sabedoria tradicional e a aliança dos povos indígenas e negros, ao redor do fogo, para a promoção da vida e da dignidade humanas. A décima edição do Fórum, realizada em Espera Feliz, contou com a presença de 170 representantes de movimentos sociais e organizações diversos do estado de Minas Gerais, bem como do poder público e da sociedade civil.

Os participantes se reuniram em grupos nos quais compartilharam vivências culturais ligadas aos “conhecimentos populares das plantas”, “toque dos tambores”, “hip hop”, “cultura popular”, “expressão corporal”, “penteados e estética afro-brasileiras”. Vivências estas que foram apresentadas, de forma artística, para todos os presentes do Fórum, em valorização da riqueza dos anseios e saberes produzidos e trazidos pelos homens e mulheres negros.

O teor político foi expresso na Carta Aberta produzida coletivamente pelos membros do FOPPIR, documentando a posição do Fórum perante a agenda conservadora e a ameaça de retrocesso nos direitos duramente conquistados pelos movimentos sociais. Uma carta de repúdio à mineradora Samarco, pertencente à Vale e à BHP (Biliton), também foi redigida exigindo a responsabilização criminal e cível da Samarco e a assistência total aos atingidos direta e indiretamente no rompimento das barragens em Mariana.